Uma passagem de um livro interessante

Ganhei de presente A Era da Loucura, de Michael Foley. Tratando de filosofia, literatura, psicologia e neurociência,  a obra é uma daquelas marcantes que a cada frase o leitor pára, reflete e volta diferente ao texto inteligente. E sai melhor.

Profunda uma das citações encontradas no capítulo O absurdo do envelhecimento, no qual há uma abordagem da morte e sua presença tão intensa na própria vida. E de sua aceitação, claro. Mortes acontecem a todo momento. E vida igualmente. Tudo um processo bem natural:

“Veja como é transitória e trivial toda vida normal: ontem uma gota de sêmem, amanhã um punhado de cinzas. Portanto, passe esses fugazes momentos na terra como a natureza os teria passado e depois parta para o seu descanso de bom grado como um fruto que cai quando é sua estação, como uma benção para  a terra que a gerou, como forma de agradecimento pela árvore que lhe deu vida”.

(Adriana Araf)

 

Recomente essa página:
Esta entrada foi publicada em Atitudes e Transformações, Espiritualidade e Missão, Leituras Sensíveis. Adicione o link permanente aos seus favoritos.