Calor

O calor sempre rende assunto nas coisas, nas noites, nos invernos, nos altos verões, nas roupas, nas conversas, em compressas, nos sorvetes, nos bares, nos caldos, nas saunas, nos chás, nas paixões, nas fogueiras, nas ardências corporais, nas composições musicais.
Até no inverno sai calor de nossas bocas.
O ser humano não é carente de amor, é carente do calor que ele proporciona. E como esse sentimento aumenta as temperaturas, nossa!
Gente quente é gostoso, com lareira então… 

Da simplicidade, lições…

Da simplicidade, lições.
Ontem fui procurada pela amorosa Dona Teresinha, a cozinheira, costureira e gentil senhora que faz muitos “bicos” para sobreviver, inclusive no meu trabalho.
Foi o diálogo:
– Adriana, eu vim aqui para me despedir.
– Como assim, Dona Teresinha?
– Moro num lugar perigoso e não quero mais agressões para minha vida.
– Ah, sim, e vai para onde?
– Para um lugar calmo, onde eu possa viver a vida que tenho.
– A vida que a Senhora tem? Mas a Senhora não disse ainda a pouco que vai mudar de vida?
– Filha, não mudamos de vida. A vida é a vida que temos. O que mudamos são as condições dela e nossas posturas. Não podemos nos servir do que não serve.
– Quando a Senhora vai?
– Em Abril.
– Tão rápido porquê?
– Eu não adio nada, porque o tempo não espera ninguém, menina.
– E onde é o seu paraíso?
– Na Bahia…um lugar lindo.
– A Senhora vai viver a vida que tem lá sozinha?
– Nunca estamos sozinhas, filha. Vou pisar num chão emprestado por Deus até quando ele achar que mereço pisá-lo e , depois, serei parte dele.
– Me dá um beijo, Dona Teresinha.
– Muitos e de lá vou mandar outros também. Beijamos sempre as pessoas amadas em pensamento, em palavras, em orações, na comida que fazemos, nas roupas dela que costuramos.
E assim Dona Teresinha se foi, feliz, decidida pela simples decisão de viver a vida.
Adorei conhecer a Dona Teresinha.
Sentirei falta de seus temperos em minha vida também….

Quando amamos…

 

Quando amamos, as noites são curtas para a satisfação. Quando não amamos, as noites são extensas em solidão.

Quando amamos e somos amados, os dias se tornam melhores e as noites certamente são mais esperadas.

Para os apaixonados, aliás, tudo se eterniza.

É como se o olhar dela fosse a luz do sol e o abraço dele fosse o descanso da noite.

Há uma completa mistura de tempo e temperatura…

Me…

Me traz o seu sossego
Me traz a sua calma
Me traz os seus delírios
Me traz o seus encantos
Me traz os seus sorrisos
Me traz seu bom humor
Me traz o seu calor
Me traz o seu suor
Me traz pizza
Me traz os seus chinelos
Me traz os seus sonhos
Me traz os seus cheiros
Me traz as suas soluções
Me traz as suas intenções
Me enche de vontade
Me enche de insanidade
Atrasa meu relógio
Atrasa meu vôo
Me borra o batom
Me prende pelos cabelos
Me segura pela cintura
Me observa nas curvaturas
Me canta
Me encanta
Me surpreenda
Some com a minha bolsa
Some com a minha agenda
Some com as minhas verdades
Some com as minhas decepções
Me pega para você…
(Adriana Araf))

O tempo e o modo como ele nos trata…

Toda emoção sofre a ação do tempo. Geralmente é para melhor. E, assim, sujeitos a essa mutação, lá na frente, enxergaremos a coisa que tanto nos causou dor já com pouca ou nenhuma importância. O tempo nos apanha fisicamente, mas contribui em abundância para nossa sobrevivência interna, revigorando-nos com nossas próprias forças.
Ele é bem senhor de nossas vidas.
Faz o machucado profundo virar cicatriz fina.
(Adriana Araf))

Página 97 de 139« Primeira...102030...9596979899...110120130...Última »