A arte da escolha

Resultado de imagem para homem pensando na vida

“Escolha bem as suas batalhas. Não faça de qualquer uma a maior delas e nem dê azo espiritual às pequenas. Há coisas que apenas irão ter ares de desafio, todavia, no fundo, no fundo não passarão de impulsos mal administrados, egos vociferantes e insultos a sua paz. Algo simplificadamente definido como tempo perdido”.

(Adriana Araf)

Sobre a força do Entusiasmo

Resultado de imagem para entusiasmo

“A grande diferença da vida é o entusiasmo. É a força do vento. O entusiasmo é o nome feio que chamam às pessoas que acham graça a tudo o que existe na vida.

A vida é a única volta que damos. Todos os nossos projetos – de sermos melhores ou mais egoístas, mais corajosos ou comedidos – vão contra o fato de não termos tempo para corresponder às nossas expectativas.

Somos como somos. Mais vale dizer como somos, com as palavras que temos, do que morrermos à espera de nos exprimirmos mais bem. Não há nenhuma pessoa viva que possa viver mais do que nós. Existem apenas aquelas pessoas práticas e abusadoras que aproveitam as vidas para fazer avançar tudo o que esperam da vida.

Nada se aprende sem se querer – desejar avidamente – perder tempo. O entusiasmo é uma coisa dos ventos e os ventos vêm de onde quiserem, quando menos se esperam.

Os sonhos de expressão calam-nos as bocas e as mãos. Para começarmos a falar ou a escrever basta-nos começar a falar ou a escrever. Ter medo de falar ou escrever mal é que é o verdadeiro amigo da expressão.

A verdade e a nossa vida coincidem. Ninguém tem mais palavras do que precisa. É enquanto estamos vivos que temos de dizer o que nos vai na alma – e como difere dos que ganham a vida com isso.”

(Miguel Esteves Cardoso, em Jornal Público)

Reflexões particulares

Resultado de imagem para refletindo homem

Terminei de ler “O Homem à Procura de Si Mesmo“, do psicanalista Rollo May.

Suas reflexões no capítulo final:

” (…) A questão fundamental é de que modo o indivíduo, na percepção de si mesmo e do período em que vive, é capaz, por intermédio de suas decisões, de alcançar a liberdade interior e viver com integridade (…). Em plano mais profundo, cada indivíduo deve chegar à consciência de si mesmo e isto ele o realiza a um nível que transcende a época em que se está vivendo. O importante não é ter vinte, quarenta ou sessenta anos e sim preencher a própria capacidade de opção consciente ao seu particular nível de desenvolvimento.

A sugestão prática é a seguinte: a meta do homem é viver cada momento com liberdade, sinceridade e responsabilidade. Desta maneira estará realizando, nas possibilidades de sua natureza, sua tarefa evolucionária. A liberdade, a responsabilidade, a coragem, o amor e a integridade interior são as qualidades ideais, nunca perfeitamente realizadas por ninguém, mas devem constituir as metas psicológicas que dão significado ao nosso movimento (…)”.

(Adriana Araf)

Somos página, não capa

 

Como é difícil prever o futuro

Resultado de imagem para cartas na mesa cigana

“É do escritor português Miguel Torga a frase dita por tantos de diversas formas “Como é difícil prever o futuro”. Na infância, o futuro pouco importa. O futuro não passa de um Natal que trará presentes e parentes numa cena familiar. Na adolescência, um não ao futuro, pois basta viver intensamente o presente com a autoridade ainda pueril de que se pode tudo, ainda que apenas por um lapso exíguo de tempo. Com a juventude, o amor, a profissão e os sonhos empacotados numa linda névoa de energia e vontades maior do que as frustrações. Na fase adulta, o mandamento dito, repetido, esculpido e não muito praticado “o futuro a Deus pertence”. Na velhice, ou ele representa quase tudo o que se fez ou representa a amargura do que deixou de ser feito. Na boca da vizinha que insiste em morar na janela da vida dos outros, o decreto mordaz: “Fulano não tem futuro”. Ah, ciganas, me digam onde mora a felicidade enquanto eu tiver tempo, enquanto eu queira desembrulhá-la como presente, enquanto há energia sem nostalgias, enquanto a vizinha não tenha me reparado, enquanto a minha janela esteja aberta para a minha vida à espera da mais linda paisagem.”

(Adriana Araf)


Página 4 de 121« Primeira...23456...102030...Última »