Sete Bons Benefícios da Leitura

Resultado de imagem para livros que emocionam

A leitura influencia sua vida e sua mente de muitas formas. Além disso, em um plano fisiológico, foi comprovado que quem lê ativamente é capaz de aumentar a conectividade de seus neurônios.  Enquanto isso, no plano emocional, demonstrou-se que ao ler – principalmente ficção – aumentamos a nossa capacidade de simular o estado mental dos outros e podemos sentir mais empatia e compreensão pelos demais.

Também:

– A leitura permite que você viva novas experiências. Como? É bem simples, especialmente a literatura de ficção tem um grande efeito emocional no leitor, pois ele é capaz de sentir emoções que talvez demoraria décadas para descobrir, e isso ajuda a sentir empatia pelos personagens com os quais o leitor vai se identificando ao longo da narração.

–  A literatura é, em si, uma grande simulação da realidade. É como uma máquina do tempo que nos leva de encontro a diferentes situações e épocas, com suas características e personagens particulares.

Isso nos ajuda a sermos mais amáveis com os demais, pois nos ensina a ver o mundo da perspectiva dos outros, e nos ajuda a ter em conta as consequências dos nossos atos para com os demais. Também nos demonstra a simplicidade de virtudes como a amabilidade, a generosidade e a simpatia.

– A boa literatura sempre esteve em oposição aos sistemas de valores hegemônicos, estes que só priorizam a busca por dinheiro e poder. Os escritores se alinham à margem oposta dessa concepção de mundo. Eles nos ajudam a simpatizar com as ideias e os sentimentos que se contrapõem ao cinismo e à hipocrisia do mundo.

–  A literatura é uma cura para a solidão. E bons livros podemos encontrar personagens com os quais podemos nos identificar e, com eles, descobrimos todo o mundo que vai sendo descrito ao longo da narração. Quando o livro é interessante, atrai toda a nossa atenção e a solidão simplesmente desaparece, porque o livro vai se tornando nosso melhor amigo e companheiro.

– Os escritores nos ajudam a abrir nosso coração e nossa mente porque dão as ferramentas para nos livrarmos da paranoia e da sensação de perseguição que, muitas vezes, nos invadem.

– A leitura é um bom hábito para todos, porque os benefícios são os mesmos independentemente da idade ou da condição do leitor. É claro que cada idade tem suas próprias preferências e necessidades, mas os resultados são iguais para todos.

A leitura como um elixir que existe para nos ajudar a viver com um pouco mais de sabedoria e bondade, por isso não importa quando ou onde, se você tem a oportunidade de ler um bom livro, não desperdice …

Fonte: https://amenteemaravilhosa.com.br/7-beneficios-leitura/

Desejos para sua vida…

Imagem relacionada

Eu te desejo não parar tão cedo
Pois toda idade tem prazer e medo.
E com os que erram feio e bastante,
Que você consiga ser tolerante
Quando você ficar triste
Que seja por um dia, e não o ano inteiro
E que você descubra que rir é bom,
mas que rir de tudo é desespero.

Desejo que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda exista amor pra recomeçar
Pra recomeçar.

Eu te desejo, muitos amigos,
Mas que em um você possa confiar
E que tenha até inimigos
Pra você não deixar de duvidar

Eu desejo que você ganhe dinheiro
Pois é preciso viver também.
E que você diga a ele, pelo menos uma vez,
Quem é mesmo dono de quem.

(Frejat)

Augustus Agosto

Resultado de imagem para chegou agosto poema

E chega Agosto, mês 08, mês meio. Sextil. Mês do advogado, do estudante, do folclore. Nele, o Dia dos Pais, a figura essencial. Mês do esforço extra… há ainda tanta subida. Mês dos reinícios escolares, da seca intensa e da espera por chuva e flores. Mês que anuncia outros tantos. Mês do mau agouro para alguns e mês de lidas para muitos. Mês bonito como tantos outros. Mês do inverno indo embora. Mês de mais. A teu gosto.

(Adriana Araf)

Para atravessar Agosto

“Para atravessar agosto é preciso antes de mais nada paciência e fé. Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau; fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará setembro — e também certa não-fé, para não ligar a mínima às negras lendas deste mês de cachorro louco. É preciso quem sabe ficar-se distraído, inconsciente de que é agosto, e só lembrar disso no momento de, por exemplo, assinar um cheque e precisar da data. Então dizer mentalmente ah!, escrever tanto de tanto de mil novecentos e tanto e ir em frente. Este é um ponto importante: ir, sobretudo, em frente.

Para atravessar agosto também é necessário reaprender a dormir, dormir muito, com gosto, sem comprimidos, de preferência também sem sonhos. São incontroláveis os sonhos de agosto: se bons, deixam a vontade impossível de morar neles, se maus, fica a suspeita de sinistros angúrios, premonições. Armazenar víveres, como às vésperas de um furacão anunciado, mas víveres espirituais, intelectuais, e sem muito critério de qualidade. Muitos vídeos de chanchadas da Atlântida a Bergman; muitos CDs, de Mozart a Sula Miranda; muitos livros, de Nietzche a Sidney Sheldon. Controle remoto na mão e dezenas de canais a cabo ajudam bem: qualquer problema, real ou não, dê um zap na telinha e filosoficamente considere, vagamente onipotente, que isso também passará. Zaps mentais, emocionais, psicológicos, não só eletrônicos, são fundamentais para atravessar agostos.

Para atravessar agosto ter um amor seria importante, mas se você não conseguiu, se a vida não deu, ou ele partiu — sem o menor pudor, invente um. Pode ser Natália Lage, Antônio Banderas, Sharon Stone, Robocop, o carteiro, a caixa do banco, o seu dentista. Remoto ou acessível, que você possa pensar nesse amor nas noites de agosto, viajar por ilhas do Pacífico Sul, Grécia, Cancún ou Miami, ao gosto do freguês. Que se possa sonhar, isso é que conta, com mãos dadas, suspiros, juras, projetos, abraços no convés à lua cheia, brilhos na costa ao longe. E beijos, muitos. Bem molhados.

Não lembrar dos que se foram, não desejar o que não se tem e talvez nem se terá, não discutir, nem vingar-se, e temperar tudo isso com chás, de preferência ingleses, cristais de gengibre, gotas de codeína, se a barra pesar, vinhos, conhaques — tudo isso ajuda a atravessar agosto. Controlar o excesso de informações para que as desgraças sociais ou pessoais não dêem a impressão de serem maiores do que são. Esquecer o Zaire, a ex-Iugoslávia, passar por cima das páginas policiais. Aprender decoração, jardinagem, ikebana, a arte das bandejas de asas de borboletas — coisas assim são eficientíssimas, pouco me importa ser acusado de alienação. É isso mesmo, evasão, escapismos, explícitos.

Mas para atravessar agosto, pensei agora, é preciso principalmente não se deter de mais no tema. Mudar de assunto, digitar rápido o ponto final, sinto muito perdoe o mau jeito, assim, veja, bruto e seco.”

Caio Fernando Abreu

 

Suaves e reflexivas leituras

Resultado de imagem para livros empilhados e flores

1 – O Poder do Agora, de Eckhart Tolle

Ele é um dos maiores escritores de literatura de autoconhecimento e este livro é uma maneira muito boa de conhecer o seu trabalho. Nele, o autor conta um pouco sobre a importância de vivermos o presente para nos livrarmos de padrões e amarras impostas pelo passado. Quantas vezes você está tão preocupada com os problemas do futuro ou as tristezas do passado, que não presta atenção no hoje? Eckhart conta que o grande problema dessa atitude é que dessa maneira não conseguimos seguir adiante com sucesso, pois o único momento que temos para mudar nosso destino é o agora.

Leia um trecho:

Seu objetivo está tomando de tal modo a sua atenção que o momento presente é apenas um meio para atingir um fim? Está consumindo a alegria das coisas que você faz? Você está esperando para começar a viver? Se você desenvolver este tipo de padrão mental, não importa o que você adquira ou alcance, o presente nunca será bom o bastante. O futuro sempre parecerá melhor. Uma receita perfeita para uma insatisfação permanente, você não acha?”

2 – Comer, Rezar e Amar, Elizabeth Gilbert

A escritora era casada e tudo parecia bem, até que ela teve uma crise de insônia e descobriu que sua vida não tinha sentido. Entrou em uma depressão e, para mudar isso, decidiu se separar, largar tudo e fazer uma viagem de um ano pelo mundo. O roteiro? Passar 4 meses em Roma, onde aprenderia italiano e redescobriria o prazer de comer sem culpa; 4 meses na Índia, em um ashram, onde meditaria e entraria em contato com Deus e conheceria seu poder; e por último, Indonésia, onde encontraria o equilíbrio. O livro é leve, cheio de histórias divertidas e encontros especiais. Liz não poderia imaginar a virada que sua vida teria ao fazer a viagem e lançar o livro. Você também vai ter vontade de viajar o mundo, mas mais do que isso, faça uma viagem para dentro e descubra o que falta na sua vida. Depois, é só ir atrás!

Leia um trecho:

Para encontrar o equilíbrio que você busca, é nisso que você tem de se transformar. Precisa manter os pés plantados com tanta firmeza na terra que é como se tivesse quatro pernas, em vez de duas. Assim, você consegue permanecer no mundo. Mas você tem de parar de ver o mundo através da sua cabeça. Em vez disso, precisa olhar pelo coração. Assim você vai conhecer Deus.

3 – Nosso Lar, de Chico Xavier e André Luiz

Todo mundo quer saber o que acontece quando morremos, não é? Para onde vamos? Quem encontramos por lá? André Luiz é um espírito que narra sua história para Chico Xavier , que a conta no livro. Nele, descobrimos como é reencarnar, o que é o Umbral e, finalmente, para onde vamos quando somos resgatados por outros espíritos. Ele foi levado para um lugar chamado “Nosso Lar”, onde trabalhou para sua elevação. Pela primeira vez conseguimos descobrir informações muito especiais sobre o plano espiritual. Se você se sente atraída pelo espiritismo, esse livro é para ficar na sua mesa de cabeceira! Uma história linda, cheia de aprendizado.

Leia um trecho:

Quando alguém deseja algo ardentemente, já se encontra a caminho da realização. Convém não esquecer, contudo, que a realização nobre exige três requisitos fundamentais, a saber:

1º) Desejar;

2º) Saber desejar e,

3º) Merecer.

Ou por outros termos, vontade ativa, trabalho persistente e merecimento justo.”

4 – Você Pode Curar a sua Vida, de Louise Hay

Você sente dores crônicas, sofre de alergias, enxaquecas ou qualquer outra doença? Saiba que a fonte dessa dor pode estar dentro de você. Louise nos ensina a enxergar padrões de comportamento, traumas e nos leva em uma viagem de autoconhecimento, cujo objetivo é a cura, a prosperidade e uma vida plena. O que você ouviu quando criança que faz com que aja de determinada maneira agora que é adulta? Pode parecer complexo, mas ela ensina, através de exercícios e afirmações, que nós temos o poder e o controle sobre nossas ações e nossa vida.

Leia um trecho:

Somos todos 100 por cento responsáveis por nossas experiências. Cada pensamento que temos está criando nosso futuro. O ponto do poder está sempre no momento presente. Todos sofrem de culpa e ódio voltados contra si próprios. A frase-chave de todos é: “Não sou bastante bom”. É apenas um pensamento e um pensamento pode ser modificado. Ressentimento, crítica e culpa são os padrões mais prejudiciais. A liberação do ressentimento pode remover até o câncer. Quando realmente amamos a nós mesmos, tudo na vida funciona. Devemos nos libertar do passado e perdoar a todos. Devemos estar dispostos a começar a aprender a nos amar. A auto-aprovação e a auto-aceitação no agora são a chave para mudanças positivas. Cada uma das chamadas “doenças” em nosso corpo são criadas por nós.”

5 – Meditação Andando, Guia para a Paz Interior; de Thich Nhat Hanh

O livro ensina a meditar andando, de modo que nossas ansiedades e preocupações desapareçam. O autor sugere um método para o andar e para respirar, ao alcance de todos nós, convidando-nos a relaxar para receber bem o momento presente, a paz e a felicidade que nele se encontram. Na meditação o andando, fica-se atento e consciente a cada respiração e a cada passo.

Leia um trecho:

“Eu cheguei. Tenho aqui, no agora, o meu lar. Eu sou firme. Eu sou livre. Eu habito no absoluto.”

6- A Profecia Celestina, de James Redfield

É um romance inspirado em manuscritos peruanos que traz a história de um homem que embarca em uma jornada e descobre revelações sobre o sentido da vida. Enquanto o personagem aprende novos conceitos, o leitor passa a compreendê-los e vive a mesma transformação que o protagonista. É uma jornada interior gratificante, que traz novos conceitos e maneiras de encarar a vida.

Leia um trecho:

Ao nos conscientizarmos da coincidência estamos nos sintonizando com o mistério do princípio fundamental da ordem no universo. Quando nos transferimos para uma vibração mais alta, as mensagens tendem a chegar mais rapidamente. Quando usamos nossos dons e habilidades com a intenção correta, as coisas vêm até nós. Esses dramas de controle se baseiam no medo – que é energia negativa – e, quando nos conscientizamos do nosso, temos a chance de transformá-lo, combatê-lo, fortalecendo a nossa ligação com a energia interior.

fonte das boas sugestões: osegredo.com.br

Acirramento da produtividade: alguns conselhos

Resultado de imagem para multitarefas

Lendo O Poder dos Imperfeitos, de Elizabeth Kuylenstierna,  são as recomendações para o cumprimento de tarefas em meio a tantas tarefas a cumprir:

1. Comece com a tarefa mais difícil, mais desagradável, mais monótona, mais complicada, com aquela que você preferiria protelar: comece o seu dia de trabalho com ela, enquanto ainda estiver desperto e de cabeça fresca, em vez de empurrar para depois do meio-dia, quando já estiver cansado, suado, no bagaço e/ou estiver pensando em ir para casa.

2. Conclua um trabalho antes de começar outro: nada de continuar fugindo…

3. Não fique pensando muito, mas faça o que o que tiver que fazer: mais ação e menos conversa mole e ruminação.

4.Faça um plano realista e atenha-se a ele: se uma tarefa for muito grande e muito difícil, você a protelará porque a sua execução parecerá impossível.

5. Uma tarefa é a soma de suas pequenas partes: subdivida a sua tarefa em muitos passos menores e resolva um após o outro.

6. Faça uma coisa de cada vez: porquê resolver 100 coisas de cada vez e nenhuma direito? É melhor terminar primeiro uma coisa e depois dedicar-se à próxima. Quando muitas coisas são resolvidas ao mesmo tempo, quando muitos projetos têm de ser assegurados e quando muitas “bolas são levantadas” ao mesmo tempo, é fácil esquivar-se e dizer “se eu tivesse tido mais tempo, teria ficado perfeito”.

7. Estime o tempo para cada tarefa: se você ficar eternamente se fixando em detalhes, não é de se admirar que perca de vista o todo e de repente lhe faltem importantes elementos na outra ponta. Faça uma avaliação clara e seja crítico ao fazê-la.

8. Proteja-se: proteja-se de fatores externos perturbadores como e-mails, mensagens, telefones, pilhas de papel e desordem. Não se coloque sempre à disposição. Recuse as coisas quando necessitar de tranquilidade e peça educadamente às pessoas que voltem mais tarde. Ser interrompido 28 vezes quando você está para finalizar uma ideia é terror puro. Onde é que foi parar o velho bom sinal de “ocupado” e a lâmpada vermelha? É exatamente assim que você deve se comportar.

9. Comece: e você já terá começado.

 


Página 3 de 13912345...102030...Última »