“Hoje me vejo distante da terra adorada, de onde eu nasci. Tenho saudades da primeira namorada, que não me conhece mais; do portão da minha casa, onde eu me pendurava com preguiça de abrir. Minha mãe, envelhecida, ainda junta as mãos calejadas e pede a Deus que me proteja, que eu vá na igreja e que eu sempre fique em paz. O meu rosto, já marcado, ainda guarda os traços do meu pai. O tempo passou, mas não para as minhas saudades”.

Três frases que podem ser modificadas para melhor:

a) “tem que ser assim” para “pode ser assim”;

b) “fazer o quê?” para “fazer com que”;

c) “o tempo passa” para “aproveitar o tempo que passa”.

E não colocar o “né?” ao final delas ajuda ainda mais, pois não exige do outro a concordância automática. Alterações simples. Resultados fantásticos. Modifica…

(Adriana Araf)

Agradece…

Onde você está é ruim e não te agrada? Com quem você está não é bom, não te preenche? Onde você trabalha não te realiza e você queria estar fazendo outra coisa? Quantas insatisfações, em? Silencia. Agradece. Toca suas pernas saudáveis e saiba que, correndo risco de morte, você daria tudo para estar nos locais em que está e com quem você está. Detalhe: querendo viver mais a vida que hoje tanto te frustra…

 

Mulheres se vestem de estações…

Mulheres se vestem de estações… E no verão, colocam biquinis, expondo seus corpos ao sol quente, refletindo luzes por onde passam; E no outono, vestem chuvas, capas, molham as pontas dos cabelos, tropeçam nas poças com seus saltos;
E no inverno, pisoteam com suas botas, marcham charmosas em suas lutas. Capas, sombras cinzas, ar de secreto, segredo.  Echarps le vent. Olhares baixados como se dissessem “Me descubram aqui”. E na primavera, vestidos florais, bolsas laranjas, brincos de argola. Cabelos com presilhas de folhas. Assim, ajeitadas com blusinhas cheias de fitas, aguardando a chegada do batom. Sandálias amarradas em tornozelos, pés de fora.  A moda é perfumar. Mulheres se vestem como as estações e nas estações revelam mais do que o tempo que passa…
E perguntado aos homens apaixonados qual seria a melhor delas, eles afirmaram: a troca das estações…
(Adriana Araf)

Durante os meus tempos áridos de provação no Hospital, pedi  tanto por saúde que o som da minha voz chegou aos céus. Hoje, passando os dias, ainda escuto o eco leve do retorno. Tenho melhorado por fora, a cada dia. Tenho melhorado por dentro a cada dia.
A doença nos depura e nos sensibiliza, pois há algo maior sobre nós nesses momentos de isolamento obrigatório do mundo. Peça  serenamente por suas necessidades. Você será ouvido indepentemente da força do seu grito, contudo, vai depender absolutamente da força da sua fé. Clame sem desespero, como um filho que se socorre no colo de seus pais. Você será ouvido.  Eu sei. Eu fui. Eu sou.  E a experiência de ser ouvido vai superar todas as demais.

Página 144 de 157« Primeira...102030...142143144145146...150...Última »