Leitura sensível I

“Resolvi-me: bastava de sofrimento. Aos lábios da falta de felicidade, devia responder com os da minha desforra. Não era uma mulher que se deixa desfazer em bocados pelos golpes do abandono e de ausência até enlouquecer, até morrer. Recebera, na verdade, alguns estilhaços, mas, de resto, continuava inteira. Estava intacta e intacta continuaria a estar. Sou uma mulher que reage (…)”

Elena Ferrante, em  Crônicas do Mal de Amor

Recomente essa página:
Esta entrada foi publicada em Leituras Sensíveis. Adicione o link permanente aos seus favoritos.