Fernando Pessoa e oito curiosidades sobre

Imagem relacionada

1. Paixão pela Astrologia

Fernando Pessoa gostava muito de astrologia. Fazia mapas astrais de amigos, parentes, conhecidos e até de personalidades históricas.

Cecília Meireles, numa visita a Portugal, tinha como seu maior desejo conhecer Fernando Pessoa. O poeta, entretanto, não compareceu ao encontro e deixou Cecília à espera quase duas horas. Quando voltou ao hotel, ela encontrou um livro e uma carta de Pessoa. Nela, o poeta pedia desculpas por não ter ido ao encontro, justificando a ausência com o facto de, segundo ele, os astros dizerem que os dois não podiam encontrar-se naquele dia.

2. Heterônimos

Criou inúmeros heterônimos, muitos deles com estilo, biografia e até caligrafia próprias. Ricardo Reis, Alberto Caeiro e Álvaro de Campos são três dos mais conhecidos.

Um dia, tendo chegado atrasado a um encontro com o escritor José Régio, disse ser Álvaro de Campos e pediu perdão por Fernando Pessoa não ter podido comparecer ao encontro.

3. Profissões

Além de poeta, Pessoa exerceu algumas funções políticas, trabalhou como tradutor, jornalista, crítico literário, editor, publicitário e até inventor. Numa nota biográfica de 1935, Pessoa descrevia a sua profissão desta forma: “ designação mais própria será «tradutor», a mais exata a de «correspondente estrangeiro em casas comerciais». O ser poeta e escritor não constitui profissão, mas vocação.”

4. Escrever em pé

Diz-se que Pessoa tinha o hábito de escrever em pé.

5. Fobias

Sabe-se que Pessoa tinha algumas fobias: não suportava que lhe tirassem fotografias, não gostava de falar ao telefone e tinha terror a trovoadas.

6. Colecionador

Sabe-se que colecionava postais e que era filatelista.

7. Superstição e Esoterismo

Era terrivelmente supersticioso e tinha momentos em que se comportava de uma forma enigmática e misteriosa – comportamento a que decerto não seria alheia a sua velha atração pelo oculto, o esotérico e a própria relação metafísica que tinha com a vida.

8. Vício

Nos últimos dez anos de vida, talvez provocado pelo fumo dos oitenta cigarros diários, adquiriu um pigarrear característico, seguido de uma tosse seca.

Fonte: https://bertrandptsomoslivros.blog/

Para mais: http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/

Recomente essa página:
Esta entrada foi publicada em Capa do Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.