As cartas

(…) Ela ali, pintada de batom carmim e olhar firme, espalhava com muita habilidade algumas carta, que teriam mensagens futuras. Fixara em 15 minutos a consulta. A pergunta dela, de cara, foi a mais abrangente possível “O que você quer saber?”. No … Continue lendo

Mesma Foz

“Nasci assim de improviso, sem querer. Vim por acaso. Fui parto obrigado, sem desejo de viver. Mas, por tristeza, eu vivi. Porque tristeza é coisa que pega e não larga. E cresci, como crescem, depois da chuva, as ramas. Sem … Continue lendo

Sobre a tolerância

  (…) Em dias atônitos, seu ou dos outros, trabalhe sua tolerância. E em dias calmos também. Se você olhar para trás vai perceber (e se convencer) que quase tudo de contrário que te aconteceu o foi por falta de … Continue lendo

Uma confissão eterna

“Leia essas adocicadas palavras Eu vou te amar para sempre. Guarde todas elas em seus dias e em seus silenciosos momentos. Em suas reflexões sobre onde foi parar o amor do mundo. Enquanto vê as flores do seu jardim e … Continue lendo

O direito ao exílio

“Exilar-se como forma de proteger-se, experimentar-se, entender as próprias ideias e os impulsos. Quem exerce um direito assim sabe que, depois de praticado, se emergirá mais resoluto. As fraquezas, dúvidas, medos e outras seguidas sensações contrárias precisam ser secadas por … Continue lendo


Página 2 de 912345...Última »