Delicadeza manual

“Tudo nela era interessante, delicado. Flor. Até a forma de virar as páginas do livro. Tinha expressão, personalidade, toque. Virava as folhas como se dançasse com as ideias. Com dedos altos e elegantes, vencia as páginas como uma espécie de vitória por … Continue lendo

Em crônica: “O Senhor de uma taça só″

Quando a solidão entrou em minha vida, foi por um detalhe. Ocorreu sem alardes, sem xingamentos e não foi por meio de preenchimento de fichas cheias de perguntas para compor um mailing list, onde eu seria um produto mercadológico em … Continue lendo

Para Sempre Alice, o filme

Sutil, encantador, delicado e muito reflexivo.  Eis o “Para Sempre Alice“, o filme. Numa das cenas mais comoventes, em palestra sobre a grave doença que chega sem avisar (e para ficar sem cerimônia!) – Alzheimer precoce, foram as palavras da … Continue lendo

Você ama…

  “Você não ama a vida pela própria vida. Você ama lugares. animais, pessoas, memórias, comidas, literatura, música. E às vezes você conhece alguém que requer todo o amor que você tem para dar a ela. E se você perde … Continue lendo

Outonal…

  Minha avó era uma senhora interessada e interessante. Sem saber ler e escrever, dizia que aprendia as coisas pela repetição. “Pela repetição se faz a memorização“. Hoje vejo o quanto há de verdade nisso. Da frase contínua, uma dita várias vezes que … Continue lendo


Página 2 de 3123