Conclusão

Agora, o remédio é partir discretamente, sem palavras, sem lágrimas, sem gestos. De que servem lamentos e protestos, contra o destino? Miguel Torga

Simplicidade

Deveriam decretar o “Dia das Coisas Simples”. Daí o viveríamos como se nada tivesse tanto valor assim. Falaríamos com as pessoas por falar, beberíamos cafés sossegados, escorregaríamos lentamente nossas mãos nas faces amadas. Vestiríamos roupas folgadas e caminharíamos sem perigos na … Continue lendo

Passagem

“(…) Chegaram-me fotos de seu rosto em momento feliz e em local indecifrável. Corremos das coisas, contudo as coisas corridas correm pra nós quando percebem um comando humano desobediente chamado saudade. Você parece mais magro e com cabelos mais ralos. Nota-se disputa com … Continue lendo

Não te rendas…

Não te rendas, ainda estás a tempo de alcançar e começar de novo, aceitar as tuas sombras enterrar os teus medos, largar o lastro, retomar o voo. Não te rendas que a vida é isso: continuar a viagem, perseguir sonhos, … Continue lendo

Passagens literárias

“Não há nada como refazer a realidade. (…) O jeito é enfrentar. Segurar as pontas e enfrentar. E não importa sobre o quê. É claro que, tal como ocorre quando qualquer pessoa morre, embora muitos sofram, outros permanecem indiferentes, ou … Continue lendo


Página 1 de 3412345...102030...Última »