Aprenda com a natureza

Imagem relacionada

“Resplandece o Sol no alto, a fim de auxiliar a todos, distribuindo raios de vida, após uma longa noite sem fim. 

As estrelas agrupam-se em harmonia, cada qual cumprindo o seu papel e respeitando os espaços e seus tamanhos. 

O céu tem horários para a luz e para a sombra.

O vegetal abandona a cova escura, embora continue ligado ao solo, buscando a claridade, a fim de produzir outra forma de vida, em subida. 

O ramo que sobrevive à tempestade, cede à passagem dela, mantendo-se, não obstante, no lugar que lhe é próprio. Terminada, ele aproveita sua sobrevida e passa a viver novamente adaptando-se ao novo formato do solo. 

A rocha garante a vida no vale, por resignar-se à solidão. Quieta, mantem-se firme e forte. 

O rio atinge os seus objetivos porque aprendeu a contornar obstáculos e desembocar no oceano, destino final das águas. 

A flor cai e vira adubo fértil para os pés daquele que a trouxe ao mundo. Mesmo destino tem as folhas depois de respirar o mundo. 

A ponte serve ao público sem exceções, por afirmar-se contra o extremismo. Une o começo e o fim. 

O ferro serve ao ferreiro, após suportar o clima do fogo.

A pedra brilha, depois de sofrer as limas do lapidário.

A semeadura rende sempre, de acordo com os propósitos do semeador.”

(André Luiz/ Chico Xavier)

 

Recomente essa página:
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade e Missão. Adicione o link permanente aos seus favoritos.