“Deus nos deu, em certa medida, o poder de fazer nosso próprio destino; e quando nossas energias parecem exigir um apoio que não podemos conseguir; quando nossa força luta por um caminho que não podemos seguir; quando o amor não nos acolhe e com ele insistimos para sermos desejados numa luta inglória contra a frustração; quando nossas esperanças parecem minguar sem destino certo, não precisamos nem morrer de fome, nem ficar parados em desespero e nem acreditar em infortúnios: temos de buscar outro alimento para a mente, tão forte quanto o fruto proibido pelo qual ela ansiava, temos que buscar outro amor em outro lugar talvez mais puro e menos tenso; temos que renovar nossa fé no que ainda está por acontecer de melhor e abrir para o pé aventureiro uma estrada tão reta e ampla quanto aquela que a fortuna bloqueou contra nós e que ficou para trás quando decidimos não mais aceitar a infelicidade”

(Jane Eyre)
Recomente essa página:
Esta entrada foi publicada em Atitudes e Transformações, Muito Pessoal. Adicione o link permanente aos seus favoritos.